Jump to content
Close

TutoriaisView

Member
  • Content Count

    10
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    1

TutoriaisView last won the day on November 29 2019

TutoriaisView had the most liked content!

2 Followers

About TutoriaisView

  • Rank
    Baker

Recent Profile Visitors

863 profile views
  1. Breno Neves @OFF: Só mais uma coisa, sem querer incomodar, como você foi postar em tutorial de spriting? Huheuhee Eu estou sem oculos, eu dei uma passada de olho e li scipiting, kkkkkkkkkkkkk, N/A eu.
  2. A ideia é com poucas linha de código criar um dump(backup) de sua base dados, e compactá-la em tar. Este tópico é destinada a usuários linux, a true da true é que eu não sei fazer windows, rs, no windows deve dar sim para fazer de forma nativa, mas não acredito que seja tão fácil, Eu não gosto de utilizar o usuário root para manipular o mysql. Gosto de criar um usuário e dar permissões especificas para ele. Leve tutorial de como fazer isso: Fonte Isso é opcional, você pode usar o root ou um usuário qualquer com permissões gerais. Baixe o mysqldump.sh, você pode alterar esse nome, só nao o .sh Depois de baixado vá até a pasta onde está o arquivo ou indique o caminho dando um chmod, vai ser mais ou menos assim: chmod 755 mysqldump.sh, ou chmod 755 caminho/mysqldump.sh Ah! Acesse o arquivo e faça as devidas alterações, como colocar o nome do seu usuário, senha (caso não tenha, apague o senha_do_usuário) e nome da base de dados da qual você quer fazer o dump. Não apague o 'u' nem o 'p' antes dos indicativos de usuário e senha. Eu recomendo criar uma pasta para guardar seus scripts Eu gosto de organização, então eu criei uma pasta de nome backup e outra scripts dentro do diretório do meu usuário para que os backups sejam enviados para a pasta backup, o nome pode ser outro só que terá que alterar no arquivo mysqldump.sh, para criar uma pasta basta usa o comando mkdir 'nome_pasta'. Na real você que não manja muito de shell script, cria a pasta backup pelo menos, porque se não você vai ter q alterar o arquivo e por mais simples que possa parecer, para que não tem familiaridade isso pode virar uma dor de cabeça. Pronto agora é só dar um ./mysqdump.sh e vai ser feito o backup da database escolhida, izi. Porém cara que saco fazer isso todos os dias ou a cada 1 hora, meu deus, eu não aguentaria. Vamos a segunda parte do Tutorial: Digite crontab -e, se for a primeira vez que você está usando está ferramenta, 'só lamento' rs , brinks. Vai aparecer uma lista com números e nomes de editors de texto, escolha o de sua preferência digitando o número que corresponde a ele na lista. pronto será apresentado um arquivo, que só terá linha comentadas. Quer aprender mais sobre cron, acesse: https://www.vivaolinux.com.br/dica/Agendamento-de-tarefas-no-Linux-(cron-e-at) No final do arquivo você deverá fazer o seguinte, colocar um numero de 0 a 59 que é em relação aos minutos ou * que quer dizer em qualquer desses. depois a hora e tem mais três que são referente a dia do mês, mês e dia da semana. Acredito que ficou meio bosta essa parte da explicação, vou listar. m = 0 a 59 h = 0 a 23 dom = 1 a 31 mon = 1 a 12 são 12 meses começando de 1 = janeiro e o 12 dezenbro dow = 0 a 6 corresponde aos dias da semana como se fosse uma array começando do 0 = domingo e assim por diante e o ultimo é 6 = sábado E o * e tipo um coringa fica no lugar de qualquer número. Essa parte da tabela é mais para o pessoal está começando a ter contato com o sistema linux Com isso é só usar a criatividade, mas pelo básico se você quer que faça o backup 1 vez por dia, é só escolher a hora e os minutos, tipo assim: 0 12 * * *, basicamente o * diz tanto faz. E agora está pronto, ele todos os dias fará aquilo. Em si para que você não tenha mais nenhuma duvida o tutorial terminou aqui, o que vem a seguir é desnecessário de se ler, são mais algumas considerações que coloquei, mas não ruins de se ler. Como dito no título é tosco, não por ser ruim, é útil, mas nossa da para ser muito melhorado. Tipo colocar para enviar esse tar para seu e-mail, ou outro computador. Deixar inteligente, fazendo com que esse arquivo crie uma arquivo com todos os dados de uma forma alinhada e bonitinha, para que você possa ter um controle maior das informações, a questão da senha no próprio arquivo, não é muito recomendável, por isso eu recomendo criar um usuário específico para isso, ou usar outras outras ferramentes como um token de senha. A ideia foi passar de uma forma fácil e descontraída como se faz (apresentado o básico) e apontar alguns nortes para que você consiga fazer as coisas de forma mais aprimoradas do que foram apresentadas aqui. Claro isso para os usuários que estão começando a upar seus ots para o pinguim, Mas só este aqui você já pode deixar lá e esquecer que ele vai ser um ótimo funcionário, sem cobrar nada de você. Eu gosto de manipular o banco de dados pelo terminal, acho mais fácil e ágil, para isso eu uso mycli, para instalar em distribuições baseadas em Debian basta dar um sudo apt install mycli pronto. Ferramentas gráficas são uma mão na roda, mas há momentos em que elas acabam ficando mais difíceis de manipular do que a tela preta, porque são várias informações apresentadas na tela, e isso acaba me deixando um pouco perdido. mysqldump.sh Meu deus o que eu escrevi aqui, traduzindo, o tutorial acaba ali, as informações a seguir são interessantes de se ler.
  3. A ideia é já deixar todo o ambiente preparado, estou testando um, onde o ot ficar na imagem do debian 8, toda pronta com as lib já instaladas, só descarregar o ot e compilar, o mysql, php, ngnixz fiquem no Alpine, por ser muito leve e o phpmyadmin no CentOS. Eu testei e o resultado foi bom. Só tenho que corrigir uma coisa que não gostei, e o bacana é que depois com uma linha só de comando, coloco tudo para rodar novamente.
  4. kkkk, faz parte, para quem não está familiarizado com o docker, a princípio fica meio abstrato mesmo o contexto de uso, Até mesmo pelas terminologias, que podem ser dokcer, container, imagem. E as suas característias, mas eu vou trazer alguns videos explicando melhor, este primeiro video foi para apresentar as possibilidades. Se fosse descarregar tudo de uma vez ia ficar um video muito grande, e correria o risco de ficar, por demais, incompleto. Mas valeu pela critica.
  5. Olá, tudo bem? Quem nunca começou a montar seu servidor e teve problemas na hora de compilar? Pelo menos no que se diz em relação ao linux, por possuir vários sabores (distros-distribuições), eu tive, você vê um tutorial, seguia passo a passo e na hora que você executava dava errado, é... comigo também aconteceu. Só que pensando na comunidade descobri algumas técnicas de como resolver isso e decidi trazer e agregar o conhecimento à comunidade. Eu venho falar sobre o docker, falar sobre o surgimento e com profundidade sobre ele ocuparia espaço por demais, mas a documentação é bem explicativa. Como funciona, é uma forma de virtualização, é possível criar a imagem de um, por ex., debian 8, dentro de um centOS 7. Mas isso já não é possível? Eu diria que não, pois o que se tem é a criação de uma maquina virtual e não só apenas a imagem do S.O. que se deseja utilizar. Essa imagem terá libs e binários próprios, só que compartilhará o mesmo kernel da sua máquina, sendo possível você ter uma maquina x e usar uma container y para compilar seu ot, e outra para deixar se site online, e outro ainda, para gerenciar seu banco de dados. Gosto muito de uma frase que ouvi, comparando o docker e VM com animais de estimação e bóis. Suas VMs são como bichinhos de estimação, pois você tem todo um zelo com ela, se da problema você cuida, perde tempo, e gasta se for possível para reparar. Porém o boi não, se ficar doente você descarta e pega outro, se não está servindo mais você não vai perder tanto tempo, isso é o docker, pois são extremamente fáceis de subir, sendo possível subi-los com apenas uma linha de comando, e com tudo o que você precisa, prontos só para compilar, sem necessidade de baixar as libs. Pode-se usar ainda de uma tecnologia que acompanha o docker, que é o docker-compose. Este ficará em um próximo tuto. Com o docker há um melhor gerenciamento de consumo de recursos de sua máquina (tanto virtual quanto física), pois, imagine que você recebe a tarefa de executar várias funções ao mesmo tempo, mesmo tempo várias ferramentas que te auxiliem, ainda sim, você será sobrecarregado, agora situação diferente, é quando as tarefas delegadas a você são divididas em mais pessoas, com as mesmas ferramentas. E outra coisa, é pelo fato de que se você quiser excluir uma aplicação da sua máquina é só desinstalar o docker, sem o risco de ainda ficar pacotes em sua máquina. Mas eu acredito ser a maior vantagem, é a automatização, por meio de dockerfile, ou docker-composes. Onde eu escrevo como será executada a função e o que ela vai criar, e qualquer pessoa pode pegar esse meu documento e com uma linha de comando abrir a imagem que foi criada por mim ou qualquer outra pessoa. Vou mostra como pode ser um esqueleto simples de uma dockerfiler: FROM debian:8 RUN apt-get update && apt-get -y upgrade && apt-get install -y mais as libs para compilar. Com isto e o comando docker build -t nomedaimagem e ponsto . com espaço. Parecido com makefile né? Eu penso que sim. Você vai criar uma máquina com essas características, fácil não? Não, então assista ao meu video. Vai acabar aquela história de que na minha máquina não funcionou, help-me please. Em relação a compilar. Pessoal comandos a serem executados estarão no video, beleza? O tuto, já está longo por demais e lá já estão expostos. E mostrando como são utilizados. Não esqueçam de deixa seu like e inscreverem-se em meu canal, há, claro, não esqueçam de dar um rep+ aí se gostaram. Falou, até a próxima, e desculpa pelo tamanho do texto, mas como se trata de algo novo, não achei legal colocar em poucas linha sem explicar sua utilidade. E também por ser um assunto tão rico, ahhh, quase já ia me esquecendo, essa tecnologia não é exclusividade do linux, podendo ser usada no windos e MacOs, tem que ser 64bit. Vocês podem criar maquinas Debian 8, por ex., em seu windows e conectá-las por uma simples particula na linha de comando de criação do container. Ufa, agora já é tudo o que me cabia aqui, voltarei com maiores explicações. Se foi postado em lugar indevido, peço que mande para o lugar certo.
  6. A data é só para sincronizar algumas informações, que não estão na database.
  7. Uma alternativa ao hostingner para hospedar o site de vocês, eu testei com o geisor acc, modern acc, e o znote acc, todos funcionaram. É gratuito, por um bom periodo de tempo, e da para criar e-mail com domínio próprio para deixar mais profissional o seu OT. Eu não vi ninguém ensinar dessa forma e achei interessante passar o conhecimento. Se alguém quizer alguma ajuda é só comentar, mas o video está bem explixado. O que eu utilizei está para download na descrição do video.
  8. Galera, tutorial completo de como compilar e deixar o seu ot online em uma VPS da Google Cloud de graça com site hopedado fora da VPS. Se não estiver no lugar certo, eu peço que movam.

Open Tibia Server

Quer aprender a criar seu próprio servidor de Tibia? Então está no lugar certo, aqui você encontrará milhares de tutorias, scripts, códigos, mapas e utilitários para que você possa fazer o seu próprio servidor de Tibia começando do zero.

Redes Sociais

Anuncie no Tibia King

Precisa de mais visibilidade em seus projetos? Quer fazer um plano publicitário para o seu servidor? Anuncie no Tibia King e faça sua divulgação, possuímos centenas de acessos simultâneos e milhares diários, com certeza será a sua solução!

×
×
  • Create New...